Como monetizar seu app?

Tempo de leitura: 4 minutos

Após ter uma grande ideia de aplicativo, é hora de pensar em como ganhar dinheiro com ele. Sim, isso é mesmo possível. No entanto, há muitas possibilidades e é preciso conhecer todas para analisar qual se encaixa melhor com sua criação.

App pago

A forma mais óbvia é cobrar pelo download. Contudo, com tantos apps gratuitos, por que alguém pagará pelo seu? Por mais grosseira que pareça essa pergunta, é importante que você a faça e também que se coloque no lugar do usuário. O que seu app terá de diferente dos outros? Pode ser que sua forma de ganhar dinheiro não seja essa, mas não se preocupe porque há muitas outras opções. Afinal, grandes apps, como Facebook e Whatsapp, são mesmo gratuitos.

App gratuito com conteúdo pago

Outra maneira é não cobrar pelo download, o que aumenta as chances dele se tornar mais conhecido, mas possuir conteúdo pago dentro. Essa alternativa é muito comum em games, porque é possível cobrar por moedas e ferramentas  extras ou ao acesso a novas fases do jogo, por exemplo. No caso do seu app não ser um game, você pode cobrar por um serviço extra ou personalizado.

App gratuito com atividades externas

Também existe a possibilidade do app ser gratuito, porém cobrar por ativividades externas, como prestação de serviços ou venda de produtos. Nesse modelo, trata-se de uma interface para compra ou venda que acontecerá no mundo físico. Esse cenário é comum em aplicativos de carona, como Uber e Easy Taxi, ou de lojas, como AliExpress.

App gratuito com mensalidade

Há ainda a opção do app ser gratuito e cobrar uma mensalidade pelo conteúdo. É o caso de jornais e revistas, por exemplo. Entretanto, é interessante já ter um público consolidado para que esse modelo funcione.

App com versões gratuita e paga

Ou, ainda, você pode criar duas versões para o mesmo app, uma gratuita com propagandas e outra paga, sem anúncios. Um grande exemplo é o Spotify.

App com anúncios

E, falando em propaganda, esse é outro modo de ganhar dinheiro: colocar banners de terceiros em seu aplicativo. Você poderá lucrar com cliques e downloads. Essa forma é bem comum e é possível mesclar com outras opções. Contudo, é preciso ter volume de publicidade para que o saldo da sua conta bancária cresça.

Conheça seu usuário

Identificar e monitorar o comportamento do seu público também é um grande passo. Saber as páginas mais acessadas do app fará com que você saiba onde colocar propaganda e ter maior chance de sucesso.

Se o app tiver conteúdo pago, uma boa dica é diferenciar o usuário que costuma comprar. Assim, você pode exibir mais divulgações dos produtos internos para ele. Já para quem não compra nada, mostre mais anúncios externos.

Google Admob x Rede de Públicos

Gostou da opção de faturar com publicidade? Então, você precisa entender o que é Google Admob e Rede de Públicos. O primeiro é uma plataforma do Google que promove aplicativos. Você tanto pode divulgar seu app como aceitar disseminar outros.

Já o segundo é um conjunto de sites móveis e aplicativos parceiros do Facebook. Ambos são similares, possuem filtros para direcionar o público-alvo e estão disponíveis para Android e iOS. O Facebook atinge 1 bilhão de pessoas por dia. Por outro lado, o usuário precisa ter o app do Facebook instalado no aparelho para que visualize os anúncios. Enquanto isso, o Admob abrange qualquer pessoa que tenha aplicativos. Independentemente de qual você escolha, os dois são formas de gerar receita.

Apps no mundo

E se você ainda tem dúvidas sobre se realmente pode ganhar dinheiro com apps, é interessante citar que o número de downloads de aplicativos atingiu o total de quase 26 bilhões em todo o mundo no 3º trimestre. O crescimento foi de 8% em relação ao mesmo período de 2016, segundo um relatório da consultoria App Annie.

Da mesma forma, os gastos dos usuários também acompanharam essa alta.  A receita da App Store e Play Store somadas chegaram a quase US$ 17 bilhões também no 3º trimestre, 28% a mais comparado a igual período do ano passado. Entretanto, vale ressaltar que o gasto do consumidor da Apple é quase o dobro do que os usuários do Android costumam desembolsar.