Como trabalhar com projetos freelancer de app?

Tempo de leitura: 4 minutos

Ganhar dinheiro extra. Complementar a renda. Ter mais flexibilidade nos horários. Conseguir se recolocar no mercado de trabalho. Essas são algumas das vantagens de ser freelancer. E se você sabe fazer aplicativos, por que não transformar essa habilidade em trabalho?

Você pode começar a desenvolver freelas em suas horas vagas ou se dedicar totalmente. Em ambos os casos, não importa qual horário fará, pois receberá pelo projeto finalizado. E é exatamente esse o motivo de muitos escolherem essa forma de trabalho: a flexibilidade. Entretanto, é preciso ter disciplina para conseguir cumprir o prazo de entrega estipulado.

Por que desenvolver aplicativos?

Ideias criativas surgem o tempo todo. No entanto, poucas são as pessoas que sabem criar um aplicativo. E menos ainda são as que têm condições de pagar para uma empresa desenvolvedora. Ou seja, um freelancer é uma opção mais barata e acessível.

Além disso, o serviço não termina depois de entregar o aplicativo, já que para ter sucesso no mundo digital é preciso ter atualizações constantes no sistema. Dessa forma, o freelancer pode combinar um preço para o desenvolvimento e outro menor, para incluir inovações. Depois de um tempo e de uma cartela ativa de clientes, é possível apenas se dedicar às atualizações.

Como encontrar serviço?

Há inúmeros sites destinados a juntar profissionais e empregadores, com página pessoal para os freelancers que incluem descrições, portfólios, fotos e avaliações. Alguns cobram porcentagens de 10% ou 15%, como  99 Freelas e Workana. Outros trabalham com pacotes de créditos, como o GetNinjas. Para aceitar um pedido de trabalho e desbloquear o contato do cliente, é preciso gastar determinada quantidade de créditos, que são como moedas. O valor varia de acordo com o serviço. Já o Trampos.co cobra apenas do recrutador e o Freelancer.com permite cadastro gratuito, mas disponibiliza benefícios para quem assina a conta premium. Essas são apenas algumas opções, escolha a que mais se encaixa com você e comece a oferecer seus serviços.

Quanto cobrar?

Uma forma prática para saber quanto cobrar pelo serviço é dividir o seu salário (ou quanto gostaria de ganhar) pela quantidade de horas que trabalha. Dessa forma, você descobrirá quanto ganha por hora. No entanto, acrescentar 50% a mais no valor é uma maneira de cobrar um adicional, em caso de se dedicar fora do tempo de sua jornada convencional.  

Avalie também se conseguirá finalizar o trabalho inteiro ou se precisará terceirizar alguma parte. Em caso positivo, inclua esse custo adicional ao passar o orçamento para o cliente e só aceite a tarefa se já tiver alguém disponível para te auxiliar.

Outro ponto importante a se considerar é sobre os custos estruturais. Para ser um bom desenvolvedor é necessário ter bons equipamentos, como um computador moderno e aparelhos de celulares para testes. Esses gastos devem ser incluídos no preço que você cobrará. Tente diluir de forma justa entre os diferentes clientes.

E não se esqueça de pesquisar quanto os seus concorrentes estão cobrando, sejam outros freelancers ou empresas bem estruturadas. Saber a média praticada pelos outros também te ajudará a decidir quanto pedir pelo trabalho.

Mercado de Apps

Uma pesquisa realizada pela consultoria App Anie mostra que o brasileiro passa cada vez mais tempo em aplicativos. Em 2015, eram pouco mais de 150 minutos por dia, cerca de duas horas e meia. Já no início deste ano, o tempo médio passou para 180 minutos, ou seja, três horas completas.

Um outro estudo, feito neste ano em parceria entre Mobile Time e Opinion Box, com brasileiros que acessam a internet e possuem smartphone, aponta que 94% já baixaram algum aplicativo e 13,3% já pagaram pelo download. O perfil médio de quem compra um app é homem, entre 16 e 29 anos, da classe A ou B, com iPhone. Dentre os que nunca compraram um app, 56,3% dizem que o principal motivo é que os gratuitos satisfazem a necessidade pessoal.

Nessa mesma pesquisa, 23,6% dos entrevistados declararam ser assinantes de algum serviço de entretenimento com pagamento de mensalidade e cujo o uso é predominantemente pelo aplicativo no celular, como Netflix, Spotify, Deezer e Globo Play.  

O mercado de apps segue em expansão. E se você quer fazer parte desse segmento que só cresce, acompanhe o blog. Aqui você encontra informações sobre como obter sucesso e ganhar dinheiro com seu app.